terça-feira, 17 de junho de 2008

NÃO SEI COMO ME PRONUNCIAR...

Não sei bem como me pronunciar a seu respeito.
Eu acho...que...depende...Falando sério, depende mesmo!
Um alguns momentos penso em você como pessoa eterna, que quero levar para o resto dessa vida e para todas as próximas.

Em outros penso que queria que você sumisse, é claro que esses pensamentos passam muito rápido, mas seguindo nossa teoria de que “pensamento é desejo” isso deve fazer algum sentido... (temos que refletir sobre isso).

Eu realmente não sei quais foram os desejos que nos uniram, mas tenho algumas hipóteses:
1) A busca pelas respostas de alguns conflitos;
2) O desejo de ter conflitos (e não são poucos os nossos);
3) A pós-modernidade;
4) Ter uma pessoa com quem em alguns momentos deixássemos de ser tão “atores sociais” que somos;

A resposta eu não sei, e nem me interessa saber. Na verdade eu quero é que você saiba o quanto que é importante para mim, apesar de tudo e de todos os nossos conflitos (políticos, ideológicos, artísticos, musicais) você me faz muito bem!

Reforça algumas opiniões, me desestabiliza em outras....mas nisso consiste a riqueza de nossa amizade...nossas provocações nada mais são do que um eterno desejo de superação, em que “nos permitimos” deixar de ser o que somos, para sermos o que de mais grandioso podemos ser.

Grata por você ter passado pela minha vida, por permanecer, por ser meu eterno provocador...

Um comentário:

Souto disse...

Como um bom pós-moderno, vamos reutilizando textos... rsrs

Tô fazendo bastante isso ultimamente. E o mundo é um i-Pod!

E eu quero passar como um tsunâmi na vida de muitas... tsc

Bjs